Cadeirante é preso suspeito de golpe na internet para compra de cadeira de rodas motorizada;

293

Homem foi detido no estado de São Paulo, onde outros 3 suspeitos foram presos durante ação. Polícia já identificou dez vítimas na capital mineira.

Além de cadeira de rodas, polícia também aprendeu videogame e notas falsas — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um cadeirante foi preso pela Polícia Civil de Minas Gerais suspeito de aplicar um golpe em uma vítima de Belo Horizonte na compra de uma cadeira de rodas motorizada. Ele foi detido em uma ação, que contou com apoio de policiais paulistas e também prendeu outros três suspeitos.

Os detalhes das investigações foram divulgados nesta quarta-feira (6).

De acordo com a delegada Ana Paula Gontijo, o crime começou a ser investigado depois que a vítima procurou a delegacia. Ela relatou aos policiais que ofereceu a cadeira de rodas em um site por R$ 7,5 mil e que fez toda a negociação com o suposto comprador por aplicativo de mensagens. Ela recebeu um comprovante de pagamento e, então, entregou a cadeira de rodas a um motorista de aplicativo.

Só depois disso, a vítima descobriu que o recibo era falso e que o valor não havia sido creditado na sua conta.

Nas investigações, cruzando dados e analisando imagens de câmeras de monitoramento, a polícia chegou à conclusão que o golpe foi aplicado por um grupo de quarto pessoas de São Paulo e conseguiu identificar quatro endereços, onde foram cumpridos mandados de busca e apreensão.

“Em um desses endereços, verificamos que residia um cadeirante que havia empreendido fuga poucos instantes antes da nossa chegada. Foi visualizado o rastro de uma cadeira de rodas e chegamos a um apartamento vizinho. E lá nos deparamos com o cadeirante junto com outro indivíduo. E os dois mantinham os proprietários do apartamento sob ameaça para que eles lhe oferecessem guarida”, disse a delegada.

Segundo ela, entre as ameaças, a dupla disse ser do PCC. Os homens foram presos em flagrante por cárcere privado.

O cadeirante também é suspeito de falsificação de moeda, porque, durante a ação, a polícia encontrou notas falsas de R$ 2, R$ 5, R$ 10 e R$ 20, além de equipamentos usados para produzi-las. Outros dois homens também foram presos por suspeita de envolvimento na falsificação.

De acordo com a delegada, os quatro detidos já tinham passagens pela polícia.

“Esse cadeirante ostenta várias anotações criminais de roubo. Tem homicídio e tráfico também. Inclusive essa situação de cadeirante foi fruto de um confronto durante um assalto ocorrido em São Paulo há cerca de 5 anos”, afirmou Ana Paula.

 

Investigações continuam

 

As investigações sobre o golpe em sites de compra e venda na internet seguem em curso na capital mineira porque a polícia ainda apura a participação de outros três suspeitos.

De agosto a novembro do ano passado, dez alvos do grupo em Belo Horizonte já foram identificados. Além da cadeira de rodas, que será devolvida à vítima nesta quarta, a polícia conseguiu recuperar um videogame.

De acordo com Ana Paula, o número de vítimas pode ser ainda maior.

“As vítimas não costumam registrar esse tipo de notícia. A orientação é procurar imediatamente a Polícia Civil, registrar imediatamente a ocorrência, trazer o maior número de informações possíveis, os contatos que foram utilizados. E também é imprescindível que se formalize a representação criminal”, disse.

G1 MG