Polícia Federal investiga guarda civil de BH por suspeita de corrupção.

333

Nesta sexta-feira (29), corporação cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal.

Um guarda civil de Belo Horizonte, cedido à Polícia Federal (PF) para auxiliar no registro de armas, é investigado por atuar como despachante e por alistar contratados da corporação para a prática criminosa.

Segundo a PF, a conduta pode caracterizar os crimes de advocacia administrativa – que consiste em patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública, valendo-se da qualidade de funcionário – e corrupção passiva e ativa.

Nesta sexta-feira (29), a corporação, em conjunto com a Guarda Municipal, cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal.

De acordo com a PF, com a análise do material apreendido, será possível apurar se outros funcionários auxiliavam o investigado na prática criminosa, além de delimitar as responsabilidades individuais.

“A Polícia Federal não pode permitir nem tolerar que pessoas que estão aqui dentro criem caminhos para encurtar e agilizar processos que não devem ser e não serão cobrados da população”, disse o delegado Thiago Severo.

A Guarda Municipal de Belo Horizonte disse que a corregedoria tomou conhecimento dos fatos e acompanhou o cumprimento do mandado de busca e apreensão nesta manhã.

“A corporação está auxiliando a Polícia Federal no que for preciso e também já instaurou um procedimento administrativo para apurar a conduta do agente”, disse em nota.

G1 MG