Homem que se passava por policial é preso após denúncia de estupro contra enteada na Grande BH.

313

Um homem que se passava por policial civil está preso na Grande BH por suspeita de estupro contra enteada. Atualmente, menina tem 12 anos, mas as investigações apontam que os abusos começaram quando ela tinha apenas 8.

O caso, que aconteceu em Betim, começou a ser apurado há cerca de 2 meses, quando a mãe da criança procurou a delegacia. A mulher se relacionou com o suspeito por cerca de 8 anos e contou que ele sempre se apresentou como policial, andando inclusive armado e com distintivo. Segundo ela, o companheiro dizia ainda atuar como advogado, instrutor de autoescola e vigilante.

De acordo com a delegada Ariadne Elloise, por causa dos abusos, a menina sofreu uma série de consequências.

“A menina hoje passa por tratamento psicológico porque ela apresentou alterações sérias no sono, na alimentação, bem como queda de cabelo”, disse.

Polícia Civil detalha crime em coletiva de imprensa. Investigações foram coordenadas pela delegada Ariadne Elloise. — Foto: Raquel Freitas / g1
Polícia Civil detalha crime em coletiva de imprensa. Investigações foram coordenadas pela delegada Ariadne Elloise.

 

Ao longo das investigações, a polícia tomou conhecimento que o suspeito mantinha outra família e identificou fotos em que ostentava armas. Segundo a delegada, a mãe da menina disse que, após ficar sabendo dos abusos e procurar a polícia, passou a ficar com muito medo, diante da insistência do ex-companheiro em encontrá-la sozinha.

A Polícia Civil, então, pediu a prisão do suspeito, além de autorização para realização de busca e apreensão. Ele foi detido na última sexta-feira em Contagem, na casa em que vivia com a outra mulher.

“Na residência desse suspeito em Contagem, foram encontrados diversos materiais, como vestimentas, brasões, patches da Polícia Civil, distintivos, acessórios de arma de fogo, como os carregadores, além de carteiras de outras profissões, certa quantidade de cocaína e dinheiro em espécie, motivo pelo qual também foi flagrado por tráfico de drogas”, afirmou Ariadne.

 

Polícia encontrou, na casa do suspeito, vestimentas, brasões e distintivos da Polícia Civil, acessórios de arma de fogo, cocaína e dinheiro em espécie. — Foto: PCMG / Divulgação
Polícia encontrou, na casa do suspeito, vestimentas, brasões e distintivos da Polícia Civil, acessórios de arma de fogo, cocaína e dinheiro em espécie.
Polícia encontrou, na casa do suspeito, vestimentas, brasões e distintivos da Polícia Civil, acessórios de arma de fogo, cocaína e dinheiro em espécie. — Foto: PCMG / Divulgação
Polícia encontrou, na casa do suspeito, vestimentas, brasões e distintivos da Polícia Civil, acessórios de arma de fogo, cocaína e dinheiro em espécie.

 

Ao ser preso, o homem negou as suspeitas e disse que a ex queria se vingar pelo fato de ele ter outra família. Além de estupro de vulnerável, o suspeito pode responder por outros crimes.

“Nessa investigação atual da Delegacia de Mulheres, além do estupro de vulnerável, ele provavelmente será indiciado pela falsa identidade e pela posse irregular de acessório de arma de fogo. Acredito que será necessária a instauração de outra investigação específica para apurar outros delitos mais graves, como estelionato, falsidade ideológica, entre outros crimes”, disse a delegada.

G1 MG