Marcha contra racismo em Washington evoca movimento de Luther King

4.350
Evento no memorial de Abraham Lincoln
Local do icônico discurso de Luther King

O memorial de Abraham Lincoln, em Washington, Estados Unidos, foi palco de uma manifestação pela igualdade racial nessa 6ª feira (28.ago.2020). O local foi o mesmo usado por Martin Luther King para proferir o icônico discurso “I Have a Dream” (“Eu tenho 1 sonho”) há 57 anos, em 28 de agosto de 1963.

Os Estados Unidos vivem uma onda de protestos antiracistas desde maio, quando George Floyd, 1 homem negro, foi morto asfixiado por 1 policial branco. As marchas contra o racismo ganharam nova motivação nesta semana, depois que policiais brancos atiraram 7 vezes, à queima-roupa, contra Jacob Blake, homem negro que estava desarmado. Blake foi levado ao hospital e, segundo seu pai, está paralisado das pernas para baixo.

O lema da manifestação dessa 6ª feira (28.ago) foi “Get Your Knee Off Our Necks” (“Tire seu joelho de nossos pescoços”), uma referência a morte de George Floyd. O reverendo Al Sharpton, 1 dos responsáveis pela marcha, discursou no evento. “Eles dizem: ‘Bem, todo mundo é importante’. Mas nem todo mundo tem a mesma importância na América”, disse ele.

“A razão que tínhamos e ainda temos para dizer ‘Vidas negras importam’ é que recebemos menos cuidados de saúde, como se não importássemos. Nós vamos para a prisão por mais tempo pelos mesmos crimes, como se não importássemos. Vidas negras são importantes e não vamos parar até que seja importante para todos”, falou Sharpton.

O pai de Jacob Blake estava presente na manifestação. À emissoras de televisão, ele falou que veio pelo filho e pelo pai, que estava no memorial de Abraham Lincoln no dia do discurso de Luther King. Em seu discurso, disse que todos estão cansados da violência contra negros. “Existem 2 sistemas de justiça nos Estados Unidos […]. Existe 1 sistema branco e existe 1 sistema negro. O sistema negro não está indo muito bem”, falou Jacob Blake Sr.

Familiares de outros mortos pela polícia, como Breona Taylor e Eric Garner, também deram depoimentos.

Martin Luther King III, filho mais velho de Luther King, disse que as pessoas não devem esquecer o que chamou de pesadelo americano. “Há 1 joelho no pescoço da nossa democracia e nossa nação não pode viver muito tempo sem o oxigênio da liberdade”, falou, se referindo à eleição presidencial marcada para novembro.

Em seu perfil no Twitter, Luther King III disse que “o caminho da América em direção à justiça é rochoso, mas justo“. “Hoje continuamos pelo caminho que meu pai e tantos outros traçaram. Devemos seguir a estrada até que, como disse meu pai, ‘a justiça desça como as águas e a retidão como um rio poderoso’”, escreveu ele.

A marcha em 1963 reuniu 250 mil pessoas. Segundo o New York Times, a manifestação dessa 6ª (28.ago.2020) não se aproximou desse número. A cidade de Washington exige quarentena para visitantes de 27 Estados norte-americanos. Além disso, uma licença emitida pela cidade na 3ª feira (25.ago) estabelecia limite máximo de 50.000 pessoas no local. A maioria do evento foi transmitida ao vivo pela internet.

Eis algumas imagens:

BLACK LIVES MATTER. #MOW2020

Three protest signs each show the face of George Floyd, who was murdered by police 95 days ago.

The most powerful thing I’ve ever been apart of!!!! #MOW2020
Imagem
Imagem
#MOW2020 Never too tired to be apart of change
Imagem

Fonte:Poder 360