Pediatras pedem demissão por más condições de trabalho em centros de saúde de BH

76

Pediatras das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e dos Centros de Saúde de Belo Horizonte pediram demissão devido a sobrecarga de serviços e falta de condições para o exercício das atividades. De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, pelo menos 20 profissionais teriam deixado os postos de trabalho nos últimos dois meses.

Uma das fontes contou que a precarização dos serviços nas unidades de saúde é uma discussão antiga entre os grupos de médicos. Para ela, este é um problema crônico das UPAs e dos Centros de Saúde da capital. As más condições de trabalho e a falta de valorização salarial é, segundo a fonte, o que ocasiona a falta destes profissionais nos sistema de saúde pública. “Estudam muito, têm maiores responsabilidades que demais especialidades e são tratados iguais, com mesmo salários e tempo de consulta e produtividade iguais”, disse.

De acordo com a denúncia dos profissionais, 14 pediatras teriam pedido demissão na UPA Norte no início de junho e seis pediatras na UPA Leste, na semana passada. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou a saída dos profissionais, mas pontuou que apenas cinco médicos pediatras na UPA Norte e um na UPA Leste tiveram os contratos rescindidos. “Para manter a assistência aos usuários, será realizada a reposição do quadro de profissionais nas respectivas unidades”, afirmou em nota.

Para quem trabalha nas unidades, a situação da saúde pública na capital é gravíssima, com a falta de profissionais de várias especialidades e superlotação, o que provoca um longo tempo de espera para quem precisa de atendimento. Uma das fontes relatou que um comitê teria sido criado para discutir problemas.

Em abril de 2022, a  Secretaria Municipal de Saúde abriu concurso para a contratação de médicos pediatras para atuar, por tempo determinado, na Rede SUS-BH. O concurso foi realizado com objetivo de reforçar as equipes das unidades de saúde da capital e garantir assistência à população.  As vagas tinham carga horária de trabalho entre 12h e 40h semanais, com remuneração de R$ 3,7mil e R$ 15 mil para profissionais das UPAs e entre R$ 3,1 e R$ 11 mil para os profissionais dos Centros de Saúde.

Na primeira semana do ano, UPAS ficaram cheias de pacientes com sintomas gripais

O que diz a Secretaria Municipal de Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde reconheceu, por meio de nota, o aumento na procura por atendimentos, especialmente de pacientes com sintomas respiratórios e casos crônicos agudizados. Em nota, a pasta firmou que tem feito esforços para recompor as equipes médicas, de forma a garantir um atendimento mais ágil à população.

Em relação a falta de profissionais, principalmente pediadras, a secretaria justifica que em 2022 foram contratados 16 médicos para a UPA Norte e outros 18 para a UPA Leste. As contratações foram de médicos generalistas, que podem atender também o público infantil.

“Como uma medida para garantir o atendimento da população, o município concedeu um aumento no valor dos plantões extras de 35% em todas as unidades da rede SUS-BH. Além disso, segue ativo o banco de currículos para contratação imediata de médicos. Os interessados devem acessar o portal da Prefeitura para realização do cadastro”, disse em nota.

JORNAL O TEMPO