Polícia Federal prende líder do PCC em megaoperação em Moçambique Fornecedor de cocaína da facção Estava foragido há mais de 20 anos Patrocinaria plano de fuga de Marcola

396

A Polícia Federal prendeu nesta 2ª feira (13.abr.2020) o criminoso Gilberto Aparecido dos Santos, conhecido como Fuminho, em Moçambique. Fuminho é apontado como 1 dos principais líderes da facção criminosa  PCC (Primeiro Comando da Capital) que estava em liberdade e  constava na lista de procurados do Ministério da Justiça. Ele estava foragido há mais de 20 anos.

A ação que culminou na prisão de dos Santos contou com a participação do Itamaraty, da DEA (Drug Enforcement Administration), do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e do Departamento de Polícia de Moçambique.

De acordo com as investigações, Fuminho era o maior fornecedor de cocaína do PCC, além de ser responsável pelo envio de toneladas da droga para diversos países do mundo.

Além disso, informações trocadas por órgãos policiais apontavam que o criminoso supostamente financiaria 1 plano de resgate de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, nº 1 do PCC, que está preso em penitenciária federal em Brasília.

É por causa desse plano descoberto pelas autoridades que foi decretada GLO (Garantia da Lei e da Ordem) no perímetro da Penitenciária Federal de Brasília, em fevereiro de 2020.

Em nota, a Polícia Federal destacou que “investe fortemente no combate ao crime violento, capitaneado principalmente pelas facções criminosas“.

Nesse sentido, mesmo diante da crise mundial de saúde pública que assola o planeta, os policiais federais continuam a cumprir seu dever constitucional de proteger a sociedade, pautados pelas diretrizes de prisão de líderes, cooperação internacional e descapitalização do crime organizado.”