Sul de MG tem 11 barragens que precisam de reforço na segurança; entenda classificação e veja locais

Relatório de Segurança de Barragens foi divulgado pela Agência Nacional de Águas e leva em consideração os dados de 2023.

A Agência Nacional de Águas (ANA) divulgou nesta quinta-feira (27) uma nova edição do Relatório de Segurança de Barragens. No Sul de Minas, há pelo menos 11 estruturas listadas entre as que precisam de reforço na segurança e melhorias.

A edição do Relatório de Segurança de Barragens leva em consideração os dados de 2023. O documento analisou quase 26 mil estruturas em todo o país. Dessas, 229 entraram em uma lista de prioridade para gestão de segurança – ou seja, precisam de mais atenção à segurança. Na região do Sul de Minas, há 11 estruturas apontadas na lista.

Barragem de exploração e trabalho de urânio em Caldas (MG) — Foto: Divulgação/INB Barragem de exploração e trabalho de urânio em Caldas (MG) — Foto: Divulgação/INB]

Veja onde ficam as barragens prioritárias para gestão de segurança, conforme a Agência Nacional de Águas:

  • Caldas: duas barragens de mineração
  • Poços de Caldas: sete barragens de rejeitos de mineração de bauxita
  • Guaxupéuma barragem de paisagismo
  • Campo do Meiouma barragem usada para irrigação

Fazem parte da lista as barragens que geram preocupação pela combinação de dois indicadores que estão em nível alto ou médio: a quantidade de pessoas instaladas abaixo da represa, o chamado Dano Potencial Associado (DPA), e o risco de problemas na estrutura, conhecido como Categoria de Risco (CRI).

O que dizem os órgãos fiscalizadores

EPTV, afiliada TV Globo, entrou em contato com todos os órgãos fiscalizadores das 12 barragens localizadas no Sul de Minas, já que cada tipo de barragem é fiscalizada por uma instituição.

Agência Nacional de Mineração (ANM), que fiscaliza as barragens de Caldas, afirmou que elas são classificadas por características técnicas da estrutura e conservação e também é avaliado o plano de segurança das estruturas e o dano potencial associado. A agência pontou também que todos os dados são públicos e detalhados. A nota completa que a ANM tem acompanhado a situação e solicitou a avaliação de itens de revisão periódica de segurança.

Os demais órgãos de segurança não retornaram aos pedidos de informação. A matéria será atualizada quando houver retorno.

Fonte: Agência Brasil