Brasil registra 946 mortes por Covid em 24 horas; Minas Gerais, Espirito Santo e Bahia , casos de infecções e mortes estão aumento

110

Brasil registra 946 mortes por Covid em 24 horas; média móvel é a maior desde agosto.

 

País tem 629.078 óbitos e 25.813.685 casos registrados do novo coronavírus, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Nenhum estado apresenta tendência de queda nas mortes. Algumas secretarias voltaram a reportar problema com sistema do Ministério da Saúde.

 

O Brasil registrou nesta quarta-feira (2) 946 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 629.078 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 653 — a maior registrada desde 31 de agosto do ano passado (quando estava em 671). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +178%, indicando tendência de alta nos óbitos decorrentes da doença.

Brasil, 2 de fevereiro

  • Total de mortes: 629.078

  • Registro de mortes em 24 horas: 946

  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 653 por dia (variação em 14 dias: +178%)

  • Total de casos conhecidos confirmados: 25.813.685

  • Registro de casos conhecidos confirmados em 24 horas: 188.552

  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 179.962 por dia (variação em 14 dias: +63%)

Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta a comparação entre os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/g1

Nenhum estado apresenta tendência de queda nas mortes por Covid (veja mais abaixo); todos estão em alta ou estabilidadeÉ a primeira vez em que isso ocorre desde 12 de janeiro de 2021, há mais de um ano.

Alguns estados voltaram a reportar problemas com o sistema do Ministério da Saúde que centraliza os dados dos municípios. A secretaria de São Paulo, por exemplo, informou que fechou um balanço parcial por conta disso, o que justifica o número de casos conhecidos em 24 horas ( pouco mais de 1 mil) bem abaixo do esperado (a média móvel está acima de 10 mil por dia). Em Pernambuco foi reportado o mesmo problema, e no Ceará a questão impediu a divulgação de novos dados antes das 20h desta quarta, segundo a secretaria estadual.

Em nota enviada à TV Globo, o Ministério da Saúde informou que foi identificada uma instabilidade na ferramenta de extração de dados de Síndrome Gripal Leve nesta quarta-feira, mas que o sistema já foi estabilizado.

O país também registrou 188.552 novos casos conhecidos de Covid-19 em 24 horas, chegando ao total de 25.813.685 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 179.962Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +63%, indicando tendência de alta nos casos da doença.

Curva da média móvel de novos casos conhecidos de Covid nas últimas duas semanas — Foto: Editoria de Arte/g1

Dessa forma, a média móvel de vítimas da doença atinge agora um patamar mais de 3 vezes maior do que estava às vésperas do ataque hacker que gerou problemas nos registros em todo o Brasil, ocorrido na madrugada entre 9 e 10 de dezembro. Na época, essa média indicava 183 mortos por Covid a cada dia.

 

Dessa forma, a média móvel de vítimas da doença atinge agora um patamar mais de 3 vezes maior do que estava às vésperas do ataque hacker que gerou problemas nos registros em todo o Brasil, ocorrido na madrugada entre 9 e 10 de dezembro. Na época, essa média indicava 183 mortos por Covid a cada dia.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Curva de mortes nos estados

 

  • Em alta (23 estados e o DF): PE, PR, PB, AM, SE, MS, DF, RS, RJ, ES, MG, SC, AL, RN, MT, GO, SP, AP, BA, PA, RR, MA, PI, RO

  • Em estabilidade (2 estados): TO, AC

  • Não divulgou (1 estado): CE

 

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo g1 para analisar as tendências da pandemia).

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os números de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Já a variação percentual para calcular a tendência (alta, estabilidade ou queda) leva em conta os números não arredondados.

Veja a situação nos estados

 

g1 divulga abaixo a média móvel de casos conhecidos, em vez da média móvel de mortes, em razão do momento da pandemia no Brasil. O grande número de vacinados com duas doses, acima de 70% da população, contribuiu para reduzir significativamente a quantidade de mortes no país. Associada a isso, a variante ômicron fez explodir o total de casos.

Curva de mortes por Covid nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Ccurva de mortes por Covid nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Curva de casos conhecidos nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Curva de casos conhecidos nos estados — Foto: Editoria de Arte/g1

Consórcio de veículos de imprensa

     Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no     Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre g1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e   UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais).

Números da pandemia — Foto: Editoria de Arte/G1

           Números da pandemia — Foto: Editoria de           Informações e Artes : G1