Suspeito de matar ex em hotel de BH simulou morte da mãe para atrair vítima, aponta investigação.

133

Um relacionamento rodeado por mentiras terminou com morte da técnica de enfermagem Ana Paula Pires, de 45 anos. De acordo com as investigações, cujos detalhes foram divulgados nesta segunda-feira (18), o suspeito do crime chegou a simular a morte da própria mãe para atrair a vítima, assassinada no mês passado em Belo Horizonte.

Ana Paula foi encontrada estrangulada em um quarto de hotel, no Centro, no dia 28 de setembro. O suspeito, que alega ter agido em legítima defesa, foi preso na semana passada em Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a delegada Ingrid Estevam, o casal se relacionou por cerca de 6 meses. Inicialmente, o homem, que trabalhava em um sacolão, ostentava um padrão de vida incompatível com seus ganhos. Ao descobrir a farsa, Ana Paula tentou se afastar.

Mulher é encontrada morta dentro do quarto de hotel no Centro de BH — Foto: Redes sociais
Mulher é encontrada morta dentro do quarto de hotel no Centro de BH

Segundo as investigações, depois disso, veio outra mentira. O suspeito revelou a Ana Paula que era casado e que queria se separar, mas dizia que precisava cuidar da mulher, que estava doente.

A vítima mais uma vez desconfiou da situação e novamente se afastou. Foi então que o suspeito simulou a morte da mãe.

Já que a família de Ana Paula não aprovava o relacionamento, eles se encontraram no hotel onde ocorreu o crime. Para enganá-la, o suspeito contou com a ajuda de uma pessoa que se passava pelo pai dele. O homem pedia que a vítima cuidasse de seu filho e, em troca, fez a promessa de um salário de R$ 12 mil. A identidade deste comparsa é investigada.

Mais uma vez desconfiada, a vítima ligou para irmã para pedir um conselho. “E a irmã, muito desconfiada, muito certa dos seus conselhos, afirmou: ‘Isso provavelmente é um golpe, uma armadilha. Vai embora. Você vai começar um emprego amanhã’. E ela resolveu findar esse relacionamento justamente por conta de todas as desconfianças”, afirmou Ingrid.

“Um dos artifícios utilizado pelo autor foi que a mãe havia falecido e que ele precisava de um auxílio, de uma orientação em relação ao funeral e ao recebimento de herança. Então, no dia 20, ele ligou para vítima e pediu que ela fosse ao seu encontro”, disse a delegada.

A polícia acredita que, após esse telefonema, a mulher decidiu terminar o relacionamento e ir embora do hotel.

“Ele, inconformado, agrediu e estrangulou a vítima com um fio, uma extensão que estava no local”, disse.

Segundo a polícia, para conseguir dinheiro para fugir para casa de parentes, o homem vendeu o celular da vítima depois do assassinato. E, para dificultar as investigações, ele teria destruído o próprio o telefone.

O mandado de prisão contra o suspeito foi cumprido no último dia 13. Ele estava na casa de um parente e, no local, foi encontrada a roupa que teria sido usada no dia do crime.

G1 MG